06 maio 2007

Deus Cria a Mãe

Deus chamou o seu anjo mais querido, e lhe apresentou o modelo de mãe. O anjo não gostou do que viu:
— O Senhor tem trabalhado muitas horas extras, já não sabe mais o que está fazendo — disse o anjo. — Olhe só! Beijo especial que cura qualquer doença, seis pares de mãos para cozi­nhar, lavar, passar, acariciar, segurar, limpar: isso não vai dar certo!
— O problema não são as mãos — respondeu Deus.
— São os três pares de olhos que precisei colocar: um que permita ver seu filho através de portas fechadas, e protegê-lo de janelas aber­tas. Outro para mostrar severidade na hora de dar uma educação sólida. E o terceiro para ficar constantemente demonstrando amor, ternura, apesar de todo o trabalho que ela terá!
O anjo examinou o modelo de mãe com mais cuidado:
E isso aqui, o que é?
— Um dispositivo de auto-cura. Ela não terá tempo de ficar doente, vai ter que cuidar do marido, dos filhos, da casa.
— Acho melhor o Senhor descansar um pouco — disse o anjo. —E voltar para o modelo normal, com dois braços, um par de olhos etc.
Deus deu razão ao anjo. Depois de descansar, transformou a mãe numa mulher normal. Mas alertou o anjo:
— Precisei colocar nela uma vontade tão grande, que se sentirá com seis braços, três pares de olhos, sistema de auto-cura. Ou não será capaz de dar conta da tarefa.
O anjo examinou-a de perto. Desta vez, em sua opinião, Deus tinha acertado. De repente, notou uma falha:
— Ela está vazando. Acho que o Senhor, de novo, colocou muita coisa neste modelo.
— Não é um vazamento. Chama-se lágrima.
— Serve para que?
— Para alegria, tristeza, desapontamento, dor, orgulho, entusias­mo.
— O Senhor é um gênio — disse o anjo. — Era justamente o que estava faltando para o modelo completo.
Deus, com um ar sombrio, respondeu:
— Não fui eu quem colocou. Quando eu juntei as peças, a lágrima apareceu.
Mesmo assim o anjo deu parabéns ao Todo-Poderoso, e as mães foram criadas.
(autor desconhecido)

Nenhum comentário: