26 fevereiro 2008

A Loucura e o Amor


A Loucura resolveu convidar os amigos para tomar um café em sua casa. Todos os convidados foram e após tomarem café a Loucura propôs:

— Vamos brincar de esconde-esconde?

— Esconde-esconde? O que é isso? — perguntou a Curiosidade.

— Esconde-esconde é uma brincadeira. Eu conto até cem e vocês se escondem. Ao terminar de contar, eu vou procurar, e o primeiro a ser encontrado será o próximo a contar.

Todos aceitaram, menos o Medo e a Preguiça.

— 1, 2, 3... — a Loucura começou a contar.

A Pressa se escondeu primeiro, em um lugar qualquer. A Timidez, tímida como sempre, escondeu-se na copa de uma árvore. Alegria correu para o meio do jardim. Já a Tristeza começou a chorar, pois não achava um local apropriado para se esconder. A Inveja acompanhou o Triunfo e se escondeu perto dele debaixo de uma pedra.

A Loucura continuava a contar e os seus amigos iam se escondendo. O Desespero ficou desesperado ao ver que a Loucura já estava no noventa e nove.

— Cem, — gritou a Loucura. — Vou começar a procurar.

A primeira a aparecer foi a Curiosidade, já que não agüentava mais querendo saber quem seria o próximo a contar.

Ao olhar para o lado, a Loucura viu a Dúvida em cima de uma cerca sem saber em qual dos lados que ficasse estaria se escondendo. E assim foram aparecendo a Alegria, a Tristeza, a Timidez .. Quando estavam todos reunidos, a Curiosidade perguntou:

— Onde está o Amor?

Ninguém o tinha visto.

A Loucura começou a procurá-lo. Procurou em cima da montanha, nos rios, debaixo das pedras e nada do Amor aparecer. Procurando por todos os lados a Loucura viu uma roseira, pegou um pauzinho e começou a procurar entre os galhos, quando de repente ouviu um grito.

Era o Amor, gritando por ter furado o olho com espinho. A Loucura não sabia o que fazer. Pediu desculpas, implorou pelo perdão do Amor e até prometeu seguir-lhe para sempre. O Amor aceitou as desculpas.

Hoje, o Amor é cego e a Loucura sempre o acompanha.

22 fevereiro 2008

Atitude é tudo!

Não espere um sorriso para ser gentil.
Não espere ser amado para amar.
Não espere ficar sozinho para reconhecer o valor de u
m amigo.
Não espere ficar de luto,
Para reconhecer quem hoje é importante em sua vida.

Não espere o melhor emprego, para começar a trabalhar.
Não espere a queda para lembrar-se do conselho.
Não espere...
Não espere a enfermidade
para reconhecer quão
frágil é a vida.
Não espere a pessoa perfeita para então se apaixonar.
Não espere a mágoa para pedir perdão.
Não espere a separação para buscar a reconciliação.
Não espere a dor para acreditar em oração.
Não espere elogios pa
ra acreditar em si mesmo,
Não espere...
Não espere ter tempo
para servir,
Não espere que o outro
tome a iniciativa se você foi o culpado.
Não espere o "EU TAMBÉM" para dizer "EU TE AMO".
Não espere ter dinheiro
aos montes para então contribuir.
Não espere o dia de sua morte sem antes AMAR A VIDA.
Então, o que você está esperando?...

Autor desconhecido

A verdade sobre os abraços

Não existe um mau abraço, somente bons e ótimos abraços!

Abraços são dietéticos e não causam câncer ou cáries...

Abraços são totalmente naturais, sem ingredientes artificiais ou pesticidas...

Abraços são: livres de colesterol, adoçados naturalmente, 100% disponíveis na natureza e são totalmente recicláveis...

Abraços são fáceis de transportar, não necessitam baterias, sintonização ou raio-X...

Abraços são isentos de impostos, totalmente regeneráveis e auto eficiente energicamente...

Abraços são seguros em qualquer tipo de clima...

Na verdade,

Abraços são especialmente aconselháveis para dias frios e chuvosos...

Abraços são excepcionalmente efetivos no tratamento de problemas como: pesadelos ou depressão da segunda-feira...

Nunca deixe para amanhã se você pode abraçar alguém hoje, porque quando você dá um abraço em alguém, no mesmo instante você recebe um de volta...

Para você, um abraço especial!

20 fevereiro 2008

As borboletas

(Vinícius de Moraes)


Brancas

Azuis

Amarelas

E pretas

Brincam

Na luz

As belas

Borboletas

Borboletas brancas

São alegres e francas

Borboletas azuis

Gostam muito de luz

As amarelinhas

São tão bonitinhas!

E as pretas então...

Oh, que escuridão!!!


1) Circule os adjetivos do poema.

2) Escolha o nome de um animal.

3) Escreva de 5 a 10 qualidades para ele.

4) Escreva um poema sobre ele.


Aproveite para trabalhar com imagens de borboletas.
ok?

17 fevereiro 2008

Usando o tubo de papelão




Que lindo este porquinho!
Feito com tubo do rolo de papel higiênico.
Tem o molde tb.

Horário de verão



Terminou o horário de verão!

Vamos montar este quebra-cabeça.

Passando...

"Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito, mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso. "

(Antoine de Saint-Exupéry)

Vamos fazer a diferença na educaçao e em todos os lugares que passarmos, fazendo o melhor que pudermos!!!!!!!!

CHAPEUZINHO AMARELO e VERMELHO

CHAPEUZINHO AMARELO E CHAPEUZINHO VERMELHO


1- Observe as personagens que aparecem nos textos "Chapeuzinho Vermelho" e "Chapeuzinho Amarelo".

a) O que há de semelhante entre as duas histórias?


b) O que há de diferente entre eles?


2- Por que o nome da menina é Chapeuzinho Amarelo?


3- Observe o trecho abaixo:

E de todos os medos que tinha o medo mais que medonho era o medo do tal do LOBO.”

O que significa o verso “o medo mais que medonho”?


4- Você acha que Chapeuzinho Vermelho tem tanto medo do lobo quanto Chapeuzinho Amarelo? Por quê?


5- Como Chapeuzinho Amarelo imaginava o lobo?


6- O que aconteceu com a menina depois que ela se encontrou com o lobo? O medo passou de repente?


7- Por que o lobo ficou chateado?


8- Que palavras dá para formar a partir do trecho abaixo?

LO BO LO BO LO BO LO BO LO BO

CHAPEUZINHO AMARELO

O poema a seguir conta a história de uma menina que possui muito medo.
Do que será que ela tem tanto medo? Vamos descobrir?

CHAPEUZINHO AMARELO


Era a Chapeuzinho Amarelo.
Amarelada de medo.

Tinha medo de tudo, aquela Chapeuzinho.

não ria.
Em festa, não aparecia.
Não subia escada nem descia.
Não estava resfriada mas tossia.
Ouvia conto de fada e estremecia.
Não brincava mais de nada, nem de amarelinha.

Tinha medo de trovão. Minhoca, pra ela, era cobra.
E nunca apanhava sol porque tinha medo da sombra.
Não ia pra fora pra não se sujar.
Não tomava sopa pra não ensopar.
Não tomava banho pra não descolar.
Não falava nada pra não engasgar.
Não ficava em pé com medo de cair.
Então vivia parada, deitada, mas sem dormir,com medo de pesadelo.

Era a Chapeuzinho Amarelo.

E de todos os medos que tinha o medo mais que medonho era o medo do tal do LOBO.
Um LOBO que nunca se via, que morava lá pra longe, do outro lado da montanha, num buraco da Alemanha, cheio de teia de aranha, numa terra tão estranha, que vai ver que o tal do LOBO nem existia.
Mesmo assim a Chapeuzinho tinha cada vez mais medo do medo do medo do medo de um dia encontrar um LOBO.
Um LOBO que não existia.

E Chapeuzinho Amarelo, de tanto pensar no LOBO, de tanto sonhar com o LOBO, de tanto esperar o LOBO, um dia topou com ele que era assim:

carão de LOBO,

olhão de LOBO,

jeitão de LOBO

e principalmente um bocão tão grande que era capaz de comer duas avós, um caçador, rei, princesa, sete panelas de arroz e um chapéu de sobremesa.

Mas o engraçado é que, assim que encontrou o LOBO, a Chapeuzinho Amarelo foi perdendo aquele medo, o medo do medo do medo de um dia encontrar um LOBO. Foi passando aquele medo do medo que tinha do LOBO. Foi ficando só com um pouco de medo daquele lobo.

Depois acabou o medo e ela ficou só com o lobo. ( ... )

O lobo ficou chateado. ( ... )

LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO BO BO ( ... )

(Chico Buarque. Chapeuzinho Amarelo. Rio de Janeiro, José Olympio, 1997.)


  • Você tem algum medo parecido com o da Chapeuzinho Amarelo? Explique.

Acidente

Atirei o pau no gato,

mas o gato não morreu.

Porque o pau pegou no rato

que eu tentei salvar do gato.

E o rato (que chato!)

foi quem morreu...

José Paulo Paes

1. Depois de ler o texto copie:
  • O nome do autor: _______________________________
  • O título do texto: ________________________________
2. Você conhece uma cantiga de roda parecida com o texto que acabou de ler? Marque com um X o nome da cantiga.

( ) Ciranda cirandinha

( ) Atirei o pau no gato

( ) Terezinha de Jesus

3. Escreva o nome dos animais que aparecem no texto:

________________________________________________________

4. Desenhe o animal que é considerado doméstico.















5. Escreva uma frase sobre o gato.

___________________________________________________________

___________________________________________________________

Rick e a girafa

No Jardim Zoológico, neste domingo azul, a girafa olha do alto para as crianças, e parece convidá-las a um passeio no dorso. Há uma escada perto, e se for encostada ao animal, Ricardo (Rick é o seu apelido) poderá chegar até lá.

O garoto mede a distância que vai do chão ao lombo, e julga-­se em condições de vencê-la, Uma vez lá em cima, cavalgando o pescoço, e segurando-lhe os chifres, pedirá a girafa, depois de umas voltas pelo Jardim, que o leve por aí percorrendo o mundo.

Presa há tanto tempo, a girafa há de estar ansiosa de liberdade, Não será difícil transpor a cerca. Ela espera que Rick lhe proponha a aventura. Ninguém se atreveria a travar-lhe os passos, e Rick vai dirigi-la nos rumos que aprendeu no Atlas escolar.

O problema é descer de vez em quando, para Rick alimentar-se de biscoitos, fazer necessidades e dormir. Camarada, a girafa ira se deitando aos poucos, primeiro dobrando devagar as pernas, depois se inclinando lentamente para o lado, e afinal arriando com suavidade a carga infantil. Mas para subir outra vez, como se arranjaria ele? Escada não haverá. Mesmo deitada, a girafa é difícil de subir. A imaginação não lhe fornece recurso plausível. O sonho frustrou-se. Rick levanta o braço direito e, com a mão espalmada em gesto de adeus à girafa que gentilmente o convidara, esclarece:

- Muito obrigado. Fica para outra ocasião, quando eu crescer.

Rick e a girafa. Carlos Drummond de Andrade Editora Ática. p. 35, 36.

Rick e a Girafa é um pequeno conto do autor Carlos Drummond de Andrade, mestre na arte de escrever poemas, crônicas e contos. Esse texto é a história de Rick, um menino sonhador que deseja viver aventuras. Numa visita ao Jardim Zoológico o garoto encontra a parceira certa, uma girafa que o levará para conhecer o mundo. Rick usando a imaginação vê uma escada que irá levá-Ia ao dorso da girafa e assim viajar ... Este conto é um exercício para captar o imaginário de um menino. Nada acontece realmente, Rick apenas imagina como seria essa aventura até que a realidade vence. Fica para outra vez, quando ele crescer ... O conto é uma narrativa curta e os personagens são Rick e a girafa. O narrador desvenda os pensamentos de Rick e promove a ação que se desenrola no plano psicológico. O tempo e o espaço são imaginários, embora se passe também no plano real em um Jardim Zoológico.

  1. O assunto principal do texto é

(A) a tristeza de Rick no Zoológico.

(B) o sonho de Rick de viajar com a girafa.

(C) o desejo de conversar com a girafa.

(D) a vontade de alimentar bem a girafa.

Neste item, os alunos devem identificar o tema de um texto.


  1. Segundo o texto, Rick era um menino que

( A ) tinha grande imaginação.

( B ) era tão alto quanto à girafa.

( C ) adorava visitar os animais.

( D ) precisava ser baixo .

Neste item, os alunos devem inferir uma informação implícita em um texto.


(Prova Brasil)


ESTE ANO SERÁ UM SUCESSO SE...


Este ano será um sucesso se...
houver um sorriso de otimismo, um sonho de beleza em seu coração e poesia nas pequenas coisas: na simplicidade da flor, na inocência das crianças, no silêncio interior, na amizade, no momento presente, na oportunidade de ser bom, ser amigo e compreensivo; sensível ao sofrimento alheio, grato ao passado que lhe proporcionou experiências para o futuro.

Este ano será um sucesso se...
você for franco sem ferir, tiver fé em si, no próximo e em Deus e, acima de tudo, expressar o que pensa do outro com uma palavra de carinho, de apoio, de reconhecimento, de bondade e encorajamento.

Este ano será um sucesso se...
você souber vencer a preguiça, o orgulho, a indiferença ao sofredor, a tentação da riqueza, da intriga e da inveja, da intolerância ao ignorante, ao que tem idéias diferentes das suas, ao menos inteligente, ao egoísta, ao mesquinho.

Este ano será um sucesso se...
você socorrer a quem precisa, aconselhando-o, estendendo-lhe a mão, dando-lhe ajuda no momento certo, economizando bens materiais, esbanjando amor e solidariedade, entendendo a criança e o idoso, o adulto que não teve infância e aquele que não sabe amar.

Este ano será um sucesso se...
você der um “bom dia” de coração e enfrentar com esportividade as desventuras, semear a paz e o amor, vibrar com a felicidade alheia, com a beleza do sol acordando o dia, com a gota de orvalho na flor.

Este ano será um sucesso se...
você valorizar cada vitória e o mundo de oportunidades que se abrirem diante de você e, começar cada dia com Deus!

Se você for sensível a tudo isso, então este ano será um sucesso para você e para os que vivem ao seu redor!



Confúcio

"O sábio tem vergonha dos seus defeitos, mas não de se corrigir."


VERDADE

(Carlos Drummond de Andrade)

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.